8 Curiosidades e regras para parecer menos “turistão” em Londres

20160626_171333

Viajar, visitar pontos turísticos e tirar aquelas fotos nos pontos mais conhecidos no mundo é muito bom, mas parecer ter na testa “TURISTA” estampado pode ser meio chato e você gostaria de ficar mais misturado na multidão, para se sentir mais envolvido com o lugar, sugar a experiência ao máximo. “Mas como fazê-lo se não conheço ninguém e não sei muito bem sobre os costumes. Mesmo lendo meus livros de viagem fica muito difícil planejar todo um roteiro e como me sentir como um local. Ah dá muito trabalho!”. É verdade, a viagem, a língua diferente, tudo isso já dá uma tensão, mas é possível aprender umas coisinhas fáceis e bem diretas sobre os hábitos dos Londrinos que vão te fazer sentir menos “fora do lugar” quando estiver visitando esta cidade tão multi-cultural:

1) Oyster Card na mão: Oyster Card é o cartão de passagem que você usa para viajar de metrô e ônibus em Londres. No caso do metrô especialmente, você o utiliza na entrada e na saída, senão a catraca não abre. O “na mão” que eu digo é que você deve tê-lo na mão pronto para usar. JAMAIS deixe para procurá-lo na frente da catraca, deixando as pessoas atrás esperando. Londres é uma cidade muito ativa e as pessoas estão sempre ocupadas e com pressa de chegar ao seu destino. Todos os Londrinos já sabem dessa “regra” mas ainda vejo muitos turistas remexendo a bolsa sem perceber que tem uma galera já sem paciência e pensando “Aff, turistas…”. Já sabendo desse toque, você já vai ser um a menos, mais parecido com um local ;);

2) Londrinos andam rápido: Pela mesma razão acima. Todo mundo está sempre muito ocupado e com pressa em Londres, eu mesma percebi que aumentei a velocidade do meu andar desde que passei a morar aqui. Eu não gosto muito disso e nem quero que você, que está de férias se preocupe em andar rápido, porém quero ressaltar que em lugares e horários que pessoas estiverem indo e voltando do trabalho (sáida/entrada de transporte público, semáforos) seria um gesto de boa vontade com os trabalhadores se os turistas “trancassem” menos o caminho rs. Parece exagero, mas além de Londres ser uma cidade enoooorme e com tanta gente, turistas (muitos) estão presentes o tempo todo, então se você quiser se misturar mais e ser legal com o Londrino que tá correndo atrás do trem porque o anterior atrasou, tá aí uma dica;

3) “Sorry!”: eu acho que se eu fosse indicar três palavras que qualquer um deveria aprender ao vir para à Grã Bretanha elas seriam certamente “thanks” (obrigado(a)), “please” (por favor) e “Sorry” (desculpa) – MAS se eu só pudesse escolher uma, essa seria “Sorry”. Creio que você está pensando que essa seria a terceira, mas no caso da GB as pessoas dizem “sorry” o tempo todo! Não importa se a culpa é sua ou não (é claro que se alguém claaaramente for super mal educado com você, talvez você possa dizer “Excuse me?” (Com licença?)). Na época das olimpíadas em 2012 um artigo chegou a dizer que se alguém esbarrar em você sem a intenção, o outro diria “Sorry” e a pessoa que recebeu o esbarrão o diria também meio que por estar no caminho da pessoa também :D. Sorry é seguro em todos os momentos que você não tenha muito o que dizer, quando quiser pedir licença, quando espirrar etc.

4) Não dizer “WHAT?”: quando você não entender o que alguém estiver dizendo, ao invés de dizer “What?” (Que em português é traduzido para “O quê?”, que não soa tão ruim no Brasil quando você quer que a pessoa que esteja falando com você repita o que você não entendeu mas soa um pouco grosseiro no Reino Unido). “Mas o que eu digo então?”, adivinha. A resposta é isso mesmo, “Sorry???”, tá aí, mais uma utilidade para a nossa palavrinha número 1. E não se preocupe, ninguém vai pensar que você esteja se desculpando.*

5) “Please”: eu sei que você deve estar pensando “eu não preciso aprender palavrinhas de como ser educado num lugar. Aqui eu também sei falar “por favor”. Porém eu achei importante destacar esta palavra em especial porque eu paguei um certos micos por não falar por favores o suficiente. É uma coisa de louco, eles falam “please” toda hora. Assim, se um garçom te disser “o que você gostaria de beber?”, creio que você vá dizer, “um suco por favor”. E se ele te perguntar “com gelo ou sem?”, você vai dizer “sem” (ou “com”, esse é só um exemplo heheh). Certo? Não, errado (na Inglaterra pelo menos). Aqui você vai dizer “sem, por favor”. E pra tudo meio que funciona assim. Toda vez que você fizer um pedido você vai fazê-lo “por favor” e se o interlocutor lhe fizer uma pergunta sobre seu pedido, você vai respondê-lo “por favor”. Até os alemães fazem piada com os Ingleses dizendo que eles falam 6 por favores por frase.

6) Cuidado ao atravessar a rua: Essa vale para todos os países onde se dirige do lado direito da pista. Pode parecer meio óbvio mas mesmo que nossos pais tenham nos ensinado a olhar para os dois lados, nosso senso natural nos faz olhar para o lado esquerdo da rua.  Eu descobri isso quando estava em Malta (foi o primeiro país estrangeiro para onde viajei e como era uma colônia britânica eles adotaram o mesmo estilo de direção dos seus colonos). Algumas vezes eu tomei aquele susto com um carro vindo na direção contrária da que eu estava olhando. Não sou só eu viu, conheço americanos e outras pessoas de nacionalidades cuja direção é na mesma mão da brasileira e algumas foram quase atropeladas. Quando a pista tiver uma mão só e o carro estiver vindo do lado esquerdo, normalmente tem escrito no chão “Look left”. Dica: faça como os nossos pais disseram: olhe para os dois lados e não terá problemas :).

7) Escadas rolantes: Creio que eu já vi isso sendo aplicado no Rio de Janeiro e acredito que a ideia tenha sido copiada daqui, o que é ótimo. Quando você sai do metrô e sobe a escada rolante, as pessoas que quiserem ficar paradas ficam do lado esquerdo para deixar quem estiver com pressa e quiser ir subindo ao invés de esperar passarem. Novamente vemos um padrão de eficiência e gentileza de facilitar o deslocamento de quem precisa chegar a um lugar com uma certa rapidez. Existem placas solicitando que você espere do lado esquerdo, mas as vezes o turista fica muito distraído, então, fique de olho.

 

8) Não falar alto: não acontece somente com turistas pois a cidade é multicultural e em certas culturas percebe-se um volume mais alto em conversas em lugares públicos, principalmente em metrô, trem, ônibus… Como o britânico é mais reservado, ele está no grupo dos que falam mais baixo. Claro que tem exceções, às vezes um grupo de gente bêbada ou adolescentes são mais barulhentos,  mas geralmente o transporte público, restaurantes são mais silenciosos e possivelmente vão te olhar meio torto se você falar num volume que você considera “normal”.

Os britânicos dão muito valor ao espaço do próximo. Eles se sentem desconfortáveis ao interferir no espaço do outro (e vice versa) tanto fisicamente quanto em outros sentidos. Se você pensar dessa forma ao visitar Londres ou outros locais da Grã Bretanha as suas chances de viver a real experiência de um local serão maiores :).

* algumas pessoas usam “Excuse me?” No lugar do “Sorry?” Quando desejam que alguém repita algo que você não entendeu. Os dois têm o mesmo efeito.
Você gostou? Compartilhe

Jenninha

Jennifer Strejevitch é Desenvolvedora de Software e Tradutora freelancer. Cidadã Brasileira e Britânica, já morou no Brasil, Reino Unido, Suíça e agora está de volta a Londres. Adora viajar e aprender novos idiomas. "A cada dia que tenho uma experiência nova, seja uma comida, um caminho novo ou uma vista diferente, sinto como este dia tenha valido a pena."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *